Fala a verdade, um arroz feito na hora, bem temperado com alho fritinho e dourado, cheiro verde e uma pitada de sal com gengibre, é simplesmente delicioso. E tem mais, o arroz é o segundo alimento mais consumido no mundo, sendo o terceiro cereal mais produzido em todo o globo e perdendo apenas para o milho e para o trigo.

O seu cultivo é tão antigo quanto a própria civilização. Por isso, sua origem ainda é motivo de muitas controvérsias, apesar de evidências apontarem a Ásia, mais especificamente a China, como o local de início do plantio.

Mesmo com grande quantidade de carboidratos e nutrientes, muitas vezes taxado erroneamente de vilão, o arroz passou a ser um ingrediente quase obrigatório na mesa de celíacos, já que não possui glúten em sua composição. Uma pesquisa feita pelo Baylor College of Medicine, nos Estados Unidos, comprovou que o consumo de uma porção diária do cereal – seja ele branco ou integral – faz com que o organismo possua menos gordura e mais sais minerais, como potássio, ferro e magnésio, que ajudam a equilibrar a pressão arterial e os níveis de colesterol. Além disso, sua ingestão previne a diabetes, pois possui boas quantidades de amido, que controla o índice glicêmico no sangue.

O Arroz branco contém carboidrato e sua principal função é fornecer energia. Apesar de ser o mais consumido no Brasil, é o menos nutritivo, pois as vitaminas e minerais ficam na casca, que é retirada durante o processo de polimento.

Por ser fonte de carboidrato, ele é rejeitado na mesa de quem deseja emagrecer, mas tem uma ótima noticia circulando na web, que é possível reduzir em até 60% as calorias do arroz e assim comer sem culpa!

Um grupo de cientistas apresentou uma maneira curiosa de diminuir em até 60% as calorias do arroz branco durante o 249º encontro da American Chemical Society (ACS), realizado nos Estados Unidos. O método é simples: basta cozinhá-lo com uma colher de chá de óleo de coco e água, deixando-o ferver até que fique sequinho. Em seguida, leve-o à geladeira por 12 horas e, quando for comer, aqueça-o no micro-ondas. Pronto, você tem seu arroz menos calórico!

Explicação? Esquentar e esfriar o arroz transforma o amido comum, facilmente digerível, em amido resistente, que, como diz o nome, resiste à ação das enzimas digestivas e ajuda o organismo a absorver as calorias do alimento. Como resultado, a xícara do arroz passa a ter apenas 240 calorias – contra cerca de 500 da mesma quantidade do grão cozido pelo processo tradicional. E não pense que essa descoberta vai parar por aí, não. Segundo os pesquisadores, a ideia é diminuir o valor energético de outras comidas que amamos, como milho, batata e até macarrão. Que esse futuro esteja próximo!

 

Gostou dessa dica? Aqui em casa funciona super bem e tenho certeza que vai funcionar com você também! 

Volte Sempre!

 

Fonte de Pesquisa

Revista Corpo a Corpo, Edição 32, Editora Escala, Brasil,

%d blogueiros gostam disto: